sexta-feira, 27 de agosto de 2010

(bestiário)

uma boca e um cu, é isso que é um animal.

sábado, 21 de agosto de 2010

manifesto da cultura 2010 paraná (propõe criar um conselho estadual de cultura)

(Confusão de gênero, porque hoje em dia, né. Cidadãs, trabalhadoras e produtoras também podem assinar. Já os candidatos, que eu saiba, são todos meninos, e não é coincidência. Em ordem alfabética, legal se alguém me disser que estou enganada:
PCB - Amadeu Felipe, PDT - Osmar Dias, PRTB - Robinson de Paula, PSDB - Beto Richa, PSOL - Luiz Felipe Bergmann, PSTU - Avanilson Araújo, PV - Paulo Salamuni.
As cotas não preveem 30% de um dos dois gêneros legalizados para os cargos executivos, mas para as candidaturas em geral. Não podemos ficar indiferentes ao que vemos. Pode seguir lendo agora).


O Movimento Pró-Conselho Estadual de Cultura, artistas, produtores, trabalhadores, Movimentos Culturais e Sociais, Instituições, cidadãos e demais representantes da sociedade civil organizada vêm publicamente solicitar aos candidatos e candidatas ao Governo do Estado do Paraná e demais cargos eletivos a confirmação do compromisso pela CULTURA, com a seguinte PAUTA:

Criar e implementar a Lei Estadual de Cultura e o Plano Estadual de Cultura articulados aos planos setoriais das linguagens artísticas e áreas culturais, tendo como premissa a instituição do Sistema Estadual de Cultura cuja a base é o Fundo Estadual de Cultura, seguido pela implantação do Conselho Estadual de Cultura, ambos fomentados pelo Controle Social e pela realização periódica das Conferências Estaduais de Cultura.

E, consequentemente, reivindicar que a administração dos recursos e dos Equipamentos Públicos de Cultura do Estado do Paraná se torne cada vez mais eficiente e transparente.

Cientes do papel prioritário da Cultura na sociedade ficam registrados as solicitações por um compromisso público pelas urgentes reivindicações.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010


projeto alteridade, ação digital 5

configuracaoxx@gmail.com, Giovana de Salles e Luciane Figueiredo

Esta é nossa última ação digital. Esperamos que tenham se descoberto com nossas perguntas e se divertido em respondê-las.
Continuaremos mantendo contato, comunicando as próximas ações do nosso projeto. Bem como, o desenvolvimento da troca que fizemos por meio da Ação digital.

AÇÃO DIGITAL 5

1 - O que vem sendo passado para você pelas antepassadas de sua família?
R: ________________________________________________
2- Revistas antigas da década de 50 e 60 sugeriam comportamento para as mulheres, do tipo:
Não se deve irritar o homem com ciúmes e dúvidas.
(Jornal das Moças, 1957)
Se desconfiar da infidelidade do marido, a esposa deve
redobrar seu carinho e provas de afeto, sem questioná-lo.
(Revista Claudia, 1962)
A desordem em um banheiro desperta no marido a vontade de ir tomar banho
fora de casa. (Jornal das Moças, 1965)
A mulher deve fazer o marido descansar nas horas vagas, servindo-lhe uma
cerveja bem gelada. Nada de incomodá-lo com serviços ou notícias
domésticas. (Jornal das Moças, 1959)
Se o seu marido fuma, não arrume briga pelo simples fato de cair cinzas no
tapete. Tenha cinzeiros espalhados por toda casa. (Jornal das Moças, 1957)

Entre outras aberrações que transformaram as mulheres no que são hoje.
Quais suas sugestões para a mulher contemporânea?
R:__________________________________________________

terça-feira, 10 de agosto de 2010

projeto alteridade -- ação digital 4

sabia que cada pergunta não ia ser qualquer uma, mas olha isso. =O
(os emotícones substituem o ponto de exclamação).
quem quiser entrar em contato com a giovana de salles a luciane figueiredo: configuracaoxx@gmail.com

4 - Você já sofreu (ou sentiu nas entrelinhas) algum tipo de discriminação por ser mulher?
O quê você poderia nos falar sobre isso?
R:_________________
Que personalidade feminina te inspira ou instiga? Por quê?
R:_________________

olha o tipo de anúncio que as perguntas inspiraram no indiscreto gmail.
More about...Infertilidade Mulher »

já responde uma parte, né?

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

sobre dramaturgia

"Dois personagens discutindo? Os dois têm que ter razão".
Antunes Filho via memória de Samir Yazbek.

projeto alteridade 3 e 4

então vai ficando complicado. lopessabrina jamais pareceria um diário, se não acontecesse de ela recortar trechos do diário dela, em que é a primeira e a segunda pessoa, e colar no blogue em que é a terceira. ela finge esquecer que houve momentos aqui que foram barra pesada.

2. Li meu mapa astral e meu diário semanário para essa investigação, mas o presente só ao futuro pertence. Não entendo o que estou vivendo. Meu voto no primeiro turno em um partido que é um pastiche pode ser um autoengano ou um desengano. Trabalho. Amo. Quero ações à altura da minha confiança. Minha sobrinha de oito anos anda numa bike aro 20, mas não sabe nem subir nem descer. Estou tentando entender como começo minhas coisas, para que, havendo queda, pelo menos aconteça no trajeto. Normalmente é na hora de concluir (perfazer as coisas). Ainda ainda não possa dizer que o momento atual é de menos pressa.

3. Se alguém me aceitasse. Se eu fosse um filhinho muito muito querido.
(...)

Propaganda enganosa é a alma do negócio.

Se Clarice dominasse todos esses conceitos, ela disse, não teria sido capaz de fazer o que fiz.

Se Hilda Hilst estivesse solteira, teria conseguido ir para o mato? E Raduan?

Me tornar uma pessoa difícil, me tornar uma pessoa desatenta. Me tornar uma pessoa que dorme sem ouvir os gritos das mulheres na rua, sem ouvir o canto da vizinha em inglês, acompanhando um disco, trying so hard break down her little world. Excepto pela pronúncia dessa palavra. Me tornar uma pessoa que não tem medo de desperdiçar o amor, porque esse é um verso da Sandy. Aprender a tocar viola caipira. As pessoas me quererem como a uma cigarra. Dinheiro é amor, comida é amor, eu sempre tenho reserva e com gosto bom. Não ter que guardar mais tanta comida dentro do meu corpo. Mas o que acontece quando se emagrece: os peitos caem. Diferente não oferecer mais fartura tendo um dia a tido. Formigas são bundudazudas. Como do povo dos bundos. Como uma filha de minha mãe. Me tornar uma pessoa incapaz de fazer um trabalho metódico, que não daria certo como caixa do mercado e por isso logo transferida para anunciar as ofertas, uma pessoa incapaz de revisar um texto. Me tornar cuidada pelos demais, me tornar uma pessoa alheia. Os bifes são trechos do descontrole, a prosa no teatro é da pessoa louca. Me tornar uma hypermetáfora. Não interpretar os meus próprios textos. Esquecer o decorum. Duvidar dos domingos e páscoas. Superar pai e mãe. Não pecar contra a castidade. Quem sabe dessa vez sai o meu voto de castidade. Sempre nos projetos para melhorar de vida junto com o prêmio da megasena, que é mais simples. Sem mais ter que explicar porque é mais simples. Ficar numa boa com esse perder da memória. Esquecer a necessidade de conceitos e só deslumbrar. Ficar assim na frente da escola de samba. Não a noite fria de samba. Não a festa lamentável de carnaval obrigatório. Em cima e não empurrando o carro alegórico. O bloco dos casados era o dos ricos, o bloco dos solteiros era o dos jovens e pobres. Sempre perdia por falta de investimentos. Rejeitar, não ser rejeitada. Como se não chovesse. E não só pelo meu corpo. E não só pela minha entidade. Com mil caralhos, namoram-se pessoas. Não se namoram ideias. Saberei quando tiver coragem de morar pelo menos num bairro.

A mulher real escreveu essas coisas no dia 22.5 para mim, leitora ideal. Corrigido fatura por fartura (essa observação termina com uma onomatopeia). A mulher real, nunca é demais repetir, é uma mulher real há pelo menos 61 anos. De todas as dicotomias, entre amada e amante é a que mais superei. Acima, quando o mundo não acompanha. O ideal de mulher só pode existir num mundo que grita por revolução.
E ter a intenção: uma anoréxica é a prova do que a mulher real consegue fazer com a mulher ideal. É considerada arte se fotografada. Os limites das minhas respostas são os limites do momento atual, por isso estão nesse formato de resposta direta, de fala, matéria para outras leitoras ideais, que também são artistas.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

projeto alteridade, ação digital 3

Para você o que é mulher real?
Para você o que é mulher ideal?