quinta-feira, 24 de junho de 2010

cafÉ

As mulheres do CAF convidam.


terça-feira, 22 de junho de 2010


Se quisesse levar cultura para o povo,
eu ia trabalhar na tevê.

pelo fim das capitanias hereditárias

Você acha que deveria haver um limite para as propriedades de terra no Brasil? Entre os dias 1º e 7 de setembro deste ano, a sociedade brasileira terá a oportunidade responder a essa pergunta através de um plebiscito popular. A iniciativa é do Fórum Nacional Popular pela Reforma Agrária e Justiça no Campo e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Diversas organizações e entidades sociais já começaram a se articular para preparar a consulta. A ideia é, até setembro, conscientizar e mobilizar a população brasileira sobre a importância do limite, e mostrar como a concentração de terras interfere negativamente na estrutura política, social, geografia e econômica do país. O plebiscito irá propor um limite de 35 módulos fiscais para as propriedades rurais. Segundo o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), módulo fiscal é a unidade que "serve de parâmetro para classificação do imóvel rural quanto ao tamanho". De acordo com a Campanha Nacional pelo Limite da Propriedade da Terra, a inclusão na Constituição dessa limitação "resultaria numa disponibilidade imediata de mais de 200 milhões de hectares de terra para as famílias acampadas, sem despender recursos públicos para a indenização dos proprietários".
Os interessados em participar da Campanha já podem assinar e divulgar o abaixo-assinado em apoio à proposta de emenda. Para se tornar um projeto de lei de iniciativa popular, são necessárias 1,5 milhão de assinaturas. Conheça a campanha e divulgue: http://www.limiteda terra.org. br/index. php.

Fonte: ADITAL

terça-feira, 15 de junho de 2010

2010

Numa distopia escrita em 1897, havia um Festival Mundial de Futebol que em 2010 começava assim: a banda Ervilhas Olhinegras fazia uma dança robótica vista no mundo todo via aparelhos de rádio com imagem, transmitida por satélites artificiais. O comentarista esportivo dizia que era a melhor banda de todos os tempos, que entraria para a história como a trilha sonora daquele início de século. O show era acompanhado por pessoas do mundo inteiro, que andavam de dirigível como quem anda de trem. E todo mundo junto cantava, e essa era a comunhão dionisíaca de ponta:

Temos que ter aquele, temos que ter aquele
Temos que ter aquele aquele aquele aquele aquele

Boom boom boom (Temos que ter aquele)
Boom boom boom (Temos que ter aquele)
Boom boom boom (Temos que ter aquele)
Boom boom boom (Temos que ter aquele)

Boom boom pow (sim)
Boom boom pow (sim)
Boom boom pow
Boom boom pow

Ei, eu tenho o hit que agita o quarteirão
Você pode pegar pesado nos graves
Eu tenho aquele "rock and roll"
O fluxo do futuro

Aquela rima digital
O visual do próximo nivel
Eu tenho aquele (Boom boom boom)
Como bate a música (Boom boom boom)losin

Eu gosto desse Boom Boom Pow
As galinhas estão imitando meu estilo
Elas tentam copiar minha vaidade
Eu sou a próxima moda

Sou tão atualizada
Você é tão atrasado
Eu tenho o Boom Boom Boom
Aquele Boom Boom Boom do futuro
Vou te mostrar agora

Boom boom boom (Temos que ter aquele)
Boom boom boom (Temos que ter aquele)
Boom boom boom (Temos que ter aquele)
Boom boom boom (Temos que ter aquele)

Boom boom pow (sim)
Boom boom pow (sim)
Boom boom pow
Boom boom pow

Estou em um "boom" supersônico
Vocês ouvem aquele zunido da nave espacial
Quando, quando eu passo dentro da sala
As garotas enlouquecem feito macacas

Você está preso no super 8-Shit
Este som de baixa fidelidade é um pouco estúpido
Eu estou em alta definição
A batida vai boom boom pow

Eu viro uma fera quando você me excita
Rumo ao futuro cyber-trônico
Mais duro, mais rápido, melhor, mais forte
Fazem as garotas extra grandes, porque

Temos a batida que balança
Temos a batida que bate
Temos a batida que 808
Que o boom boom na sua cidade

Todo mundo aqui
Se quiserem arrasar
Coloquem suas mão para o ar
Will.i.am solta a batida agora!

Yep Yep
Eu estou dançando as batidas (Yep, Yep)
Eu estou dançando as batidas (Yep, Yep, Yep, Yep)

Aqui vamos nós, aqui vamos pelas rádios e satélites
Todos estão sendo atingidos pelo Boom Boom
Batidas tão grandes que estou virando duende
Todos estão loucos com o Boom Boom

Todos estão loucos com o Boom Boom
Todos estão loucos com o...

Esta batida está pulando pulando
Essa batida é assim: boom boom

Deixe a batida soar
Deixe a batida soar
Deixe a batida soar

Esta batida está pulando pulando
Essa batida é assim: boom boom

Eu gosto desse Boom Boom Pow
As garotas estão imitando meu estilo
Eles tentam copiar minha vaidade
Eu sou a próxima moda

Sou tão 3008
Você é tão 2000 e pouco
Eu tenho o Boom Boom Boom
O futuro Boom Boom Boom
Vou te mostrar agora

Boom boom boom (Temos que ter aquele)
Boom boom boom (Temos que ter aquele)
Boom boom boom (Temos que ter aquele)
Boom boom boom (Temos que ter aquele)

Boom boom pow (sim)
Boom boom pow (sim)
Boom boom pow
Boom boom pow

Deixe a batida soar
Deixe a batida soar
Deixe a batida soar
Deixe a batida
Deixe a batida
Deixe a batida soar, soar, soar, soar


O livro foi rejeitado pelo nonsense.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

mais uma crença, ou vontade de acreditar?



a kaisa era minha amiga de ônibus lá no rio.



e no 6 de outubro a gente faz o buellersday.


outra coisa: o augusto boal diz que a peça se chama otelo, e não iago, porque otelo é quem sai transformado. seguindo essa lógica, o filme deveria se chamar cameron.


domingo, 13 de junho de 2010

mais uma chance

roque:


os limpos e os sujos

(meio porque estava nos rascunhos há décadas)

Ele tinha dito a mesma coisa.

– Seus peitos são bonitos. Eles não são tão pequenos.

Eu sorri.

– Mas ela sabe!

– Teu pau também, não é tão pequeno.

Mentira, eu não disse.

Eles leram um livro igual, por isso o segundo não me enganou.

– Eu fiquei um ano e meio esperando pra te beijar. Podia passar a noite inteira só te beijando.

Eu ouvi isso em maio e ouvi em outubro, só que ele disse três anos. Eu dei uma escova de dentes pra cada um, já que ele e ele apareceram na minha casa me beijar sem escovar os dentes.

Eu achava que merecia coisa melhor, achei por um ano e meio, achei por três anos esperando e não consigo mesmo acreditar no que aconteceu em outubro e maio.

Enquanto eles esperavam, namorei dois que eram realmente limpos. Eles ficavam trinta segundos beijando meu rosto e minha cabeça depois e saíam da cama pra ligar o chuveiro. "Fica mais meia hora abraçado comigo", eu falava com dignidade. Eles voltavam bonzinhos, com suas bocas de buceta e pasta de dente, nem pareciam precisar de um banho.

Um furou minha parede. Foi a única vez que ficou bonito de camisa regata, ele era um burocrata com fetiche operário. No bar eu gritava: "Camisas regatas", e minhas amigas em corinho só pra me agradar: "não passarão!". Furou tudo torto, depois ficamos duas vezes seguidas três horas fazendo sexo, ele sim sabia me comer e aprendeu direitinho tudo o que eu ensinava. Aprendeu a beijar como uma mulher e fazer sexo oral como uma mulher e era por isso que eu o recompensava com o pau na minha boca sentada na cara dele gozando e fazendo esforço pra ninguém se machucar.

O outro eu amei e passei a mão na cabeça e continuei com ele até ser impossível. Nunca dormimos juntos, apneia, eu ficava a noite inteira acordada com medo que ele morresse, contando 123456789101112131415 segundos antes do ronco. Então eu o acarinhava e dizia “respira, meu amado, minha alma, meu coração” e ele ia sonâmbulo e irritado se deitar no sofá.

Os namorados eu olhei feliz quando ouvi “gostosa” porque era preciso comer eles fundo e com força com pernas extras pra ouvir um gemido que fosse, eles sim eram limpos, eles eram quietinhos. A sujeira era admirável.

– Mas se você mudasse de ideia e namorasse alguém esse ano, não ia ser comigo.

– Não. Em outra época eu podia ser pega de surpresa, não a essa altura.

Ele desconcertado, com ódio. Ele relinchava sobre mim como um cavalo numa caverna e eu tive que ensinar ele a escovar a língua. Ele e ele ficaram com a impressão de que eu queria que fossem embora porque a atmosfera de manhã era de ressaca. Ele fazia o ar ficar meio sujo e ele me disse gostosa com a boca cheirando a buceta e cigarro, buceta e banana. Ele raspava as bolas que ficavam com os pelos meio crescidos como ele deveu se sentir quando lambeu minha perna aquela noite sobre a mesa. Ele eu nunca vi tomar banho e ele tomou uma vez no segundo encontro quando eu disse que estava menstruada e a gente só podia fazer no chuveiro. Por isso que o meu preferido foi ele.


quarta-feira, 9 de junho de 2010

perguntas para primeiro encontro

(diria para conferir o resultado de ponta-cabeça, mas fiz voto de castidade)

Você é de gêmeos? Áries?
Te dá agonia se o vento te despenteia?
Será o câncer uma emoção reprimida?
A d. Buce te inspira, ou já inspirou, algum tipo de pânico? Descreva.
Você acredita nos protocolos dos sábios de Sião?
Você acredita no leitor médio?
Você precisa de álcool do trabalho para casa?
Você possui relógio biológico?
Discorra sobre a revolução agrária.
Quantas horas/semana você gasta com videogame?
Você acredita em bissexualidade?
E o governo dando dinheiro para artistas?
E em amor livre?
E ménage a trois?
E sexo com estranhos, sem camisinha, no d. Juan Hotel*?
Em reencarnação?
Se ganhasse na mega-sena, você compraria um terreno no alphaville?

* É um verso de uma canção de uns amigos, que acredito prefiram só ser citados no indefinido, aqui.


olha o andrew

esse negócio de olhos quase me dá um treco.

Com as Próprias Mãos from GRAFO Audiovisual on Vimeo.