domingo, 23 de maio de 2010

dos empecilhos ao amor livre

Filha: Cheguei na lotérica, a mulher lançou o jogo pra mim enquanto eu revirava minha bolsa. Daí vi que tinha esquecido o porta-moedas.
Mãe: Por que não ligou pra avisar?
Filha: Ela pendurou o jogo na vitrine pra tentar vender, e eu fui embora com vergonha.
Pai: A gente podia ter ido lá comprado.
Filha: Agora só falta sair o número.
Pai: Imagina, com o prêmio acumulado, muita gente jogando. É impossível ganhar. Claro que não vai sair.
Mãe: Tomara que não. Nem pensar.