segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

adaptação ii

Antes de mais nada, dividir com vocês o que sei melhor que o dicionário. Em uma rubrica, beat significa pausa curta motivada por hesitação ou dúvida.

KAUFMAN: Eles vão encontrar a gente.
DONALD: Acho que não.
KAUFMAN: Eu não quero morrer, Donald. Eu desperdicei minha vida. Meu, eu desperdicei.
DONALD: Isso não aconteceu. E você não vai morrer.
KAUFMAN: Eu desperdicei minha vida. Eu te admiro, viu, Donald? Eu gastei minha vida paralisado com o que as pessoas iam pensar de mim, e você – você é indiferente.
DONALD: Eu não sou indiferente.
KAUFMAN: Não, você não entendeu. Eu falei como um elogio. Sério.
(hesita)
Teve aquela vez no colégio. Eu tava olhando vocês da janela da biblioteca. Você tava falando com a Sarah Marsh.
DONALD: Meu Deus. Eu era tão apaixonado por ela.
KAUFMAN: Eu sei. E você tava flertando com ela. E ela era mesmo um doce contigo.
DONALD: Eu lembro disso.
KAUFMAN: Então, quando você saiu, ela começou a tirar sarro de você junto com a Kim Canetti. Foi como se elas estivessem rindo de mim. Você nem imaginava isso. Você parecia tão feliz.
DONALD: Eu sabia. Eu ouvi as duas.
KAUFMAN: Então como que você parecia tão feliz?
DONALD: Eu amava a Sarah, Charles. Isso era meu, aquele amor. Eu possuía. Nem a Sarah tinha o direito de me tomar isso. Eu posso amar quem eu quiser.
KAUFMAN: Ela achava você patético.
DONALD: Isso era problema dela, não meu. Você é aquilo que ama, não aquilo que te ama. Foi isso que decidi muito tempo atrás.

Kaufman e Donald ficam sentados por um bom tempo em silêncio. Kaufman começa a chorar suavemente.
DONALD: O que foi?
KAUFMAN: Obrigado.
DONALD: De quê?


4 comentários:

Giuliano Quase disse...

tá em cartaz?

Sabrina disse...

lendo. =)

Anónimo disse...

ah, eu adoro esse filme, pra mim é o melhor dele


VP: driping

Sabrina disse...

esses dias sonhei com palavras estranhas, acho que era o verificador do blogger.